O Glúten

o Glúten

O Glúten

glúten resulta da mistura das proteínas que se encontram em alguns cereais como o trigo, a cevada, e o centeio. A aveia, não contém,  mas normalmente é processada onde processam cereais, ficando assim contaminados pelos resíduos.

A palavra glúten tem origem no latim. Significa cola, o que pode ser explicado porque é uma substância viscosa.

Como é?

 

Para algumas pessoas, a ingestão provoca danos na parede do intestino delgado, o que traz prejuízos para a saúde, tornando-as intolerantes (celíacas).

O excesso também propícia o aparecimento de psoríase e de artrite psoriática.

É muito frequente as embalagens de produtos alimentares terem a frase: “Contém glúten”. É um alerta para as pessoas intolerantes não consumirem aquele produto.

As pessoas normalmente excluem o glúten da sua alimentação por duas razões. A primeira por serem intolerantes (celíacas) e a segunda porque emagrece. Deixamos de comer hidratos de carbono.

Existe um livro da autoria de Manuel Pinto Coelho intitulado ‘Chegar Novo a Velho’, que aborda as áreas de anti envelhecimento, obesidade, calvície e doenças auto-imunes que indica que as causas da maioria das doenças crónicas e degenerativas que acompanham o processo do envelhecimento como a obesidade, a doença cardíaca, o cancro, Alzheimer, Parkinson, diabetes, hipertensão arterial e a doença renal está directamente ligado com a ingestão de glúten e lacticínios.

Os alimentos que contêm glúten são todos aqueles que podem ser feitos com trigo, cevada ou centeio como bolachas, bolos, biscoitos, pães, torradas, cervejas e qualquer massa que leve farinha de trigo, como a massa da pizza e as massas alimentares.

Em geral, a alimentação tem muitos alimentos com trigo, o que faz com que o glúten seja consumido em grandes quantidades, e por isso algumas pessoas referem melhoras na saúde, especialmente na regulação do intestino, quando reduzem o consumo destes alimentos. Além disso, bebidas como cerveja e whisky também contêm glúten, pois são feitas a partir do malte da cevada.

Os alimentos sem glúten são principalmente:

  • Frutas e vegetais;
  • Arroz e seus derivados;
  • Milho e seus derivados;
  • Fécula de batata;
  • Carnes e peixes;
  • Açúcar, chocolate, cacau, gelatinas e sorvetes;
  • Sal;
  • Óleos, azeite e margarinas.

O principal benefício de o retirar da alimentação é o fazer uma alimentação mais saudável, o que melhora o funcionamento do intestino e do organismo e contribuí para a diminuição dos gases e do inchaço na barriga de algumas pessoas mais sensíveis a essa proteína.

Hoje em dia existe farinhas já preparadas à venda nos supermercados e o Pingo Doce tem uma serie de produtos gluten free nas prateleiras e disponibiliza até um folheto próprio.

Para continuar a fazer receitas deliciosas e não gastar muito dinheiro podemos fazer as farinhas em casa.

Existe mistura de farinhas sem glúten à venda ou , podemos fazer em casa.

Eu tenho estas misturas. Tenho feito bolos, pão e queques e têm saído deliciosos.

Não há desculpa para não comermos com qualidade e barato seja pela saúde, seja por motivo estético.

Boas receitas!

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário