Gordura para cozinhar, qual a melhor?

a melhor gordura

Gordura para cozinhar, qual a melhor?

Há várias teorias sobre óleos e gorduras para cozinhar mas, qual é a diferença entre os óleos, azeites e qual é o melhor para a saúde?

No mercado existe óleo vegetal que provêm de nozes, legumes, sementes e frutas (milho, soja, amendoim, girassol) e óleo alimentar ou refinado que é constituído por mistura de óleos refinados para obter um óleo de maior qualidade.

Os óleos são compostos por três classes de gorduras

  • Gordura saturada – de origem animal (banha, toucinho, carnes e leite) mas presente no óleo de coco. Em excesso é prejudicial à saúde porque pode aumentar o colesterol e originar doenças cardíacas.
  • Gordura monoinsaturada – está presente no azeite, no óleo de girassol, no abacate. Esta gordura, quando consumida de forma saudável é benéfico para a saúde porque reduz o colesterol mau (LDL) e as doenças cardiovasculares.
  • Gordura polinsaturada – tem Ómega 3 (está presente no óleo de linhaça e em alguns peixes como o salmão selvagem, na cavala e na sardinha) e Ómega 6 (presente no óleo de girassol e linhaça).

Estas classes de gordura ajudam a controlar os níveis de colesterol e triglicéridos, ajudam a combater os riscos de desenvolvimento de doenças neurológicas e cardíacas.

Diferenças de gordura alimentar

Azeite

  • Quando falamos só de azeite, significa que é misturado com outros óleos alimentares ou até mesmo com os outros tipos de azeite.
  • Virgem Extra, é a gordura obtida da azeitona sem qualquer produto químico, com 0,8% de acidez. Quando utilizado “em cru”, é rico em gorduras monoinsaturadas (a maior quando comparado com as outras gorduras) e tem a menor quantidade de gorduras saturadas. Reduz os riscos de doenças cardiovasculares, aumenta o colesterol bom. Deve ser consumido em cru.
  • Virgem, tal como o virgem extra não contém químicos. A diferença é o teor de acidez, (não superior a 2%), o preço, e suporta temperaturas mais altas (até aos 180º C). Pode ser usado para refogados/ estrugidos (à moda do Porto) e assados.Quando os comparamos, o azeite virgem extra possui uma acidez menor, podendo variar entre 1,5 g/100g e 3g/100g.
  • Azeite Refinado, é o que passa pelo processo de refinação das gorduras, o objectivo é tirar acidez, os maus aromas e impurezas o que altera o sabor e o aroma.

Óleo de Girassol, tem grande quantidade de gordura polinsaturada e pouca quantidade de saturada. Tem grande quantidade de ómega 6 e pequena de 3.

Óleo de Coco, têm geralmente utilização industrial. É muito rico em gorduras saturadas tem cerca de 85% o que aumenta o mau colesterol (LDL) potenciando as doenças cardiovasculares. Há estudos que mostram que apesar destes efeitos, fortalece o sistema imunitário e diminui a fadiga. Como é composto por uma grande quantidade de gordura saturada, quando está a altas temperaturas não se altera.

O óleo de Linhaça é polinsaturado como tal é sensível ao calor, devendo evitar-se a altas temperaturas. Pode ser usado em molhos ou para finalizar o prato.

Os óleos de nozes, sésamo, avelã são mais caros e apresentam um paladar distinto. Podem ser usados para temperar saladas.

Resumindo:

Óleos de girassol, milho, amendoim, de cor clara e sabor insípido, são ideais para fritar.

O Azeite Virgem Extra tem paladar distinto e cor amarela esverdeada é geralmente mais caro e é utilizado para temperar saladas, saltear e finalizar um prato.

E qual é a melhor gordura para a saúde?

Para atender a todas as necessidades nutricionais, devemos alternar o consumo dos óleos vegetais (girassol e azeite). Para além de beneficiar a saúde, há a questão financeira. Mas o mais importante é saber como  utilizar o óleo de forma saudável para a confecção dos alimentos.

Boas Receitas!

Sobre susanasilva 311 artigos
O Pão Pão Queijo Queijo, foi criado a pedido de amigos, que gostam do que cozinho. Gostam de receitas fáceis, rápidas e deliciosas. Gosto de fazer experiências com todos os produtos e marcas. Faço comparações e sei quais os melhores produtos e mais baratos. Para além de a partir de certa altura na curta vida do blogue, ter necessidade de fazer e inventar receitas sem glúten.

Seja o primeiro a comentar

Deixe um comentário